• Orientações Covid 19
  • .

Notícias

19/03/2020 11:30

Governo conhece projetos socioambientais do setor produtivo do eucalipto

Conhecer as operações do setor produtivo do eucalipto e a agenda de sustentabilidade e de projetos socioambientais que a Veracel desenvolve com as comunidades da região da Costa do Descobrimento. Essa foi a pauta de uma visita institucional do Governo do Estado, com a presença do secretário do Meio Ambiente (Sema), João Carlos Oliveira, além de representantes da Secretaria de Infraestrutura (Seinfra), Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e do Consórcio Costa do Descobrimento (Condesc).

A visita aconteceu no município de Eunápolis, entre os dias 17 e 18 de março, tendo como destaques a visita à Reserva Particular do Patrimônio Natural Estação Veracel, experiências socioambientais de apoio a apicultores da região, projetos de incentivo a agricultura familiar para promover a geração de renda, beneficiando direta e indiretamente 11 cidades da Costa do Descobrimento; bem como o projeto de assentamentos sustentáveis nas áreas da Veracel com o Governo Federal.

“Estreitar o diálogo o entre o setor produtivo e as comunidades locais é um dos pontos fundamentais para alavancar o desenvolvimento socioambiental da região. O Governo da Bahia, por meio da Sema e o Inema, também tem um papel importante que é de fazer essa articulação. Temos que transformar a pauta do meio ambiente em uma pauta positiva. Isso vai acontecer de maneira sólida se planejarmos e construirmos através de parcerias”, destacou o secretário João Carlos.

De acordo com o gerente de sustentabilidade da Veracel, Renato Carneiro, o respeito ao meio ambiente é item fundamental da agenda de ambiental da empresa. “Consideramos parte responsável pela garantia da viabilidade das futuras gerações. Por isso, atuamos em conformidade com a legislação brasileira, desenvolvemos e apoiamos vários programas socioambientais, além de termos uma comunicação constante com as comunidades vizinhas para medir, avaliar e corrigir possíveis impactos ambientais”, explicou.

.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.