• .

Notícias

11/11/2021 16:20

Termo de cooperação assinado pela Sema beneficia catadores de materiais recicláveis

A secretária do Meio Ambiente (Sema), Márcia Telles, assinou nesta quarta-feira (11) um Termo de Colaboração com a Associação de Catadores e Catadoras de Materiais Recicláveis da Bahia – Rede Recicla Salvador Recicla Bahia, que ficará responsável em acompanhar e assessorar a Cooperativa ReAção em seu processo de formalização e projetos socioambientais, focados na preservação da sustentabilidade ambiental. Participaram do ato, a deputada estadual Neusa Cadore, o representante da Associação, João Paulo de Jesus, e a chefe de gabinete da Sema, Daniella Fernandes.

Para viabilizar a execução do projeto, a Sema repassará à Rede Recicla Salvador Recicla Bahia, por meio de emenda parlamentar, o valor de R$ 10 mil. "Desde que assumi a Sema venho, junto com o corpo técnico, trabalhando com celeridade para a captação e destinação de recursos para ações de incentivo ao meio ambiente", destacou Márcia Telles.

O termo de colaboração técnica assinado com a Associação tem o objetivo de oferecer à instituição a assessoria em quatro linhas de pesquisa e ação: estudo socioeconômico com os catadores e catadoras; mobilização social e capacitação em cooperativismo; análise logística sobre o mercado de recicláveis da região; e um exame sobre o potencial inovativo dos produtos e processos advindos dos resíduos orgânicos. 

"Essa parceria veio para ampliar a visão dos gestores públicos de como podemos organizar uma categoria de trabalhadores que estão nas ruas, nos lixões, e que muita das vezes não tem oportunidade. Queremos estabelecer um modelo de projeto que possa se multiplicar em outras cidades. Um trabalho de formação, capacitação e potencializar a ideia da comercialização, para dar melhores condições socioeconômicas àqueles companheiros e companheiras", explicou João Paulo. 

Para a deputada e autora da emenda, uma política pública se torna cada vez mais eficaz quando é orientada através da participação popular, com ações que a própria população aponta. "A atuação da sociedade civil organizada tem um papel relevante, porque cria um elo para que os gestores públicos possam estabelecer uma escuta e entender as demandas da comunidade", completa Neusa Cadore.

.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.