• .

Notícias

28/10/2021 16:40

Sema e Inema participam de análise e previsão climática para o nordeste brasileiro

Representando a secretária estadual do Meio Ambiente (Sema), Márcia Telles, o superintendente de Inovação e Desenvolvimento Ambiental da Sema e diretor de Águas do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema), Eduardo Topázio, participou nesta quarta-feira (27), da Reunião de Análise e  Previsão Climática para o setor Leste do Nordeste do Brasil (NEB).

O encontro foi realizado na modalidade virtual e contou com a presença de Centros Estaduais de Meteorologia do Nordeste. Dentre as pautas, foram apresentados os campos meteorológicos e hidrológicos, bem como a análises de parâmetros globais e modelos de previsão climática para o trimestre novembro-dezembro-janeiro/2022, além da elaboração do Boletim de Previsão Climática.

Eduardo Topázio ressaltou a importância  das reuniões mensais entre os centros estaduais de meteorologia, permitindo assim elaborar uma previsão por consenso para o Nordeste brasileiro. "As discussões consideram não só os modelos climáticos, mas também as experiências dos profissionais que convivem com os desafios da região, em especial o semiárido", explicou.

Durante a reunião, o professor doutor da Universidade Federal de Pelotas, Douglas Lindemann, apresentou informações para destacar quais as projeções o novo relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) indica para as precipitações no NEB.No mês de agosto foi publicada a primeira parte do 6º Relatório de Avaliação do IPCC, que diferentemente dos relatórios anteriores, destaca ser indiscutível o papel das atividades promovidas pelo homem na indução do processo de mudanças climáticas. 

O relatório indica que, se a tendência de elevação global da temperatura do planeta não for revertida, eventos climáticos extremos vão se tornar mais frequentes e agudos, acarretando pesados impactos socioeconômicos. "Para o Nordeste,a intensidade e a frenquência de precipitações extremas e inundações pluviais são projetadas para aumentar para 2°C do nível de aquecimento global. Há alta confiança em um aumento dominante nos números de dias secos e de secas. As temperaturas médias muito provavelmente continuarão a aumentar", finalizou Lindemann.

Boletim da Previsão Climática: De acordo com a coordenadora de Estudos de Clima e Projeto Especiais do Inema, Greice Ximena, o boletim elaborado indica para o trimestre de novembro de 2021 a janeiro 2022 maiores possibilidades de volumes de chuva oscilando entre a média e valores acima da normalidade na maior parte da Bahia, com exceção do recôncavo e parte do nordeste baiano, que se encontram fora do período chuvoso. O documento com informações detalhadas pode ser acessado pelo site do Inema.

.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.