• .
  • .

Notícias

21/09/2020 15:20

Plantio de mudas no Parque de Exposições marca comemoração do dia da Árvore

Um plantio simbólico deu início, hoje pela manhã (dia 21/09), ao projeto que irá mudar para melhor o Parque de Exposições Agropecuárias de Salvador (Avenida Paralela). A iniciativa da SEAGRI, junto a parceiros, marcou o Dia da Árvore e o começo do plantio de, inicialmente, 1.720 mudas de árvores no local. Estiveram presentes os secretários de Estado da Bahia, Lucas Costa (Agricultura) e João Carlos Oliveira (Meio Ambiente), além de Wilson Andrade (Associação Baiana das Empresas de Base Florestal - ABAF), Luciano Miranda (Ferbasa), Luiz Garcez (Caetá Ambiental), dentre outros.

As mudas que vêm sendo plantadas são várias: de ipê (amarelo e rosa), pau-pombo, aroeira, variedades de palmeiras, oiti-do-sertão, dentre outras. Integradas ao Parque de Exposições, com o tempo mudarão o microclima do local, possibilitarão ambientes de sombra, além de viabilizar um aumento da frequência de pássaros e outros animais.

“O que fazemos aqui, hoje, representa o nosso trabalho por toda a Bahia. A SEAGRI orienta e age em favor da agricultura com responsabilidade e respeito ao meio ambiente”, comentou Lucas Costa, titular da pasta da Agricultura. Por sua vez, o secretário do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, lembrou a força simbólica da iniciativa, “que irá plantar centenas de árvores em um espaço tão emblemático da cidade de Salvador, como é o Parque de Exposições. Sabemos que o grande desafio da produção no campo, atualmente, é a sustentabilidade. O mundo se preocupa com isso. E estamos aqui mostrando que a Bahia tem também uma grande preocupação, um grande compromisso, com a efetividade ambiental”. 

Para João Carlos Oliveira, proteger o meio ambiente é papel de todos, "por isso é fundamental que cada um faça sua parte, repensando a  construção da sustentabilidade, para que as próximas gerações consigam viver em um planeta tão bonito quanto ainda temos hoje", destacou.

Esse entendimento a respeito da sustentabilidade nas atividades rurais moveu todo o evento. As discussões e conversas deixaram claro que todos os setores – produtivo, comercial e Estado – têm o entendimento sobre a necessidade de se incentivar, cada vez mais, produtividade em conjunto com sustentabilidade.

“A Ferbasa tem como um de seus pilares a questão da sustentabilidade.  Temos 35% de nossas áreas preservadas, o que vai bem além dos 20% exigidos pelo Código Florestal Brasileiro. Temos um comitê dedicado a essas questões, tão grande é a importância, para a empresa, do tema sustentabilidade”, disse o coordenador de Segurança e Meio Ambiente da Área Florestal da Ferbasa, que é uma das parceiras da iniciativa.

“O setor de Base Florestal da Bahia preserva hoje mais de 500 mil hectares, em todo o estado. Nesse mundo novo que se apresenta está reforçada a necessidade de pensarmos os negócios do campo sob a perspectiva da sustentabilidade, e é essa linha de atuação que norteia as ações da Associação Baiana das Empresas de Base Florestal”, disse Wilson Andrade, diretor executivo da ABAF, outra entidade que se integrou ao projeto de plantio de mudas no Parque de Exposições.

Diretor comercial da Caetá Ambiental, empresa que também doou mudas para o plantio, Luiz Garcez destaca o crescimento contínuo de demandas como recuperação de matas auxiliares, regularização ambiental e reflorestamento, que são trabalhos realizados pela Caetá. “Possuímos capacidade para três milhões de mudas por ano em nosso viveiro, na cidade de São Sebastião do Passé”, dimensiona Garcez.

Para a ação do Dia da Árvore, A ABAF intermediou a doação da Ferbasa (1 mil mudas) e, em parceria com a Caetá Ambiental, doou 220 mudas. A Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (AIBA), por sua vez, conseguiu outras 500 mudas, sendo que 300 foram doadas pela SLC Agrícola e outras 200 pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB).

O Parque de Exposições é uma área multiuso, com espaço para estacionamento, exposição e venda de animais, stands, escritórios e shows. Com relação à estrutura para exposições e leilões, sua maior vocação, há dois pavilhões de bovinos com capacidade total de 1.500 animais; dois pavilhões de equinos para 700 animais; um pavilhão de pequenos animais capaz de abrigar cerca de um mil caprinos e ovinos, além de aves, cães e gatos; 40 currais de espera cobertos com capacidade para 800 animais; quatro hectares de capineira; e casa de ração.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.