• .
  • .

Notícias

20/08/2020 23:10

Sema participa de debate sobre enfrentamento às mudanças climáticas

O Nordeste é uma das regiões mais ambiental e socialmente vulneráveis às mudanças climáticas. E para debater soluções de enfrentamento a essa crise global, o renomado professor e cientista, Carlos Nobre fez uma palestra virtual para cerca de 150 pessoas, nesta quinta-feira (20), promovida pela Frente Parlamentar Ambientalista da Bahia. O secretário estadual do Meio Ambiente (Sema), João Carlos Oliveira participou da videoconferência como debatedor.
 
Nobre trouxe importantes dados sobre as emissões brasileiras de gases de efeito estufa, em especial na Bahia, e projeções e cenários climáticos para os próximos anos. “Se não cumprirmos os compromissos assumidos no Acordo de Paris, até 2030, teremos um grande impacto na agricultura e na saúde. Temos que acelerar as políticas e práticas de adaptação em todos os setores. A nossa agricultura precisa ser regenerativa e resiliente, como forma de enfrentar às mudanças climáticas”, pontuou.  

O palestrante também alertou para um aumento extremo na temperatura, que pode transformar a floresta amazônica em savana e até inviabilizar a vida humana neste século. “O Brasil e a sustentabilidade devem caminhar juntos para o futuro do nosso planeta e das novas gerações”, frisou.

Na oportunidade, o secretário João Carlos falou sobre as ações do Governo do Estado para mitigação das mudanças climáticas. “Apresentamos ao governador Rui Costa o nosso diagnóstico da realidade do clima da Bahia, que nos preocupa muito. Para se ter uma ideia, 298 municípios estão sujeitos à desertificação; a nossa área costeira, com 1100 quilômetros, vem sofrendo um processo de erosão muito grande; além de abalos sísmicos que estão acontecendo no Litoral. Estamos revisando a Política sobre Mudança do Clima do Estado da Bahia e já demos o primeiro passo com a reativação do Fórum Baiano de Mudanças Climáticas Globais e de Biodiversidade, agora em agosto”, ressaltou. 

João Carlos Oliveira também pontuou outras ações integradas, como a criação de Fóruns Regionais de Mudanças Climáticas, em 15 macroterritórios; elaboração dos inventários dos gases de efeito estufa (GEE); construção do Plano Estadual de Enfrentamento às Mudanças Climáticas e do Sistema de Monitoramento e Gerenciamento de Riscos Ambientais. 

Participaram também como debatedores o deputado estadual Marcelino Galo e o ex-coordenador do Fórum Baiano de Mudanças Climáticas e da Biodiversidade, Eduardo Mattedi.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.