• Orientações Covid 19
  • .

Notícias

08/07/2020 13:10

Sema Debates: ativistas discutem sobre ações sustentáveis pós-pandemia

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) realizou a segunda edição do programa Sema Debates. Na terça-feira (07), o encontro virtual reuniu quatro ativistas ambientais que dialogaram sobre ações sustentáveis para um futuro pós-pandemia. Foram convidados, os presidentes das Ongs Paciência Viva - Programa Ação Reciclar, Cláudio Deiró, e da RedeMar, Willian Freitas, a colaboradora da Imaterra/SOS Vale Encantado, a bióloga, Tatiana Bichara e o engenheiro agrônomo, Luis Almeida, colaborador do Instituto Regional da Pequena Agropecuária Apropriada (IRPAA). A mediação da conversa ficou na responsabilidade do coordenador de Políticas e Planejamento Ambiental da Sema, Juca Ribeiro.

A Live começou com a participação da bióloga Tatiana Bichara que abordou o ativismo no bioma da Mata Atlântica, especificamente na capital baiana, com o empenho da sociedade civil na conservação do Parque Ecológico do Vale Encantado. "Estamos em um movimento intenso para fazer com que essa área seja reconhecida como o primeiro refúgio da vida silvestre de Salvador. O Parque já traz uma série de benefícios ambientais para a nossa cidade, além de servir como local de lazer para as famílias. É um espaço verde em plena a área urbana, com muitas trilhas, ponto de observação de aves, um espaço propício para ações práticas de educação ambiental", destacou.

O recaatingamento em comunidades tradicionais de fundo de pasto foi o tema que o agrônomo Luis Almeida compartilhou no debate. O palestrante explicou que a proposta de conviver com o semiárido está dentro de uma concepção política desenvolvida pelo IRPAA a mais de 30 anos. Um modelo de desenvolvimento com base na realidade local, rompendo com a lógica do combate à seca. “O modelo tradicional de enfrentar a seca sempre foi pensado de fora da realidade de quem vive. Não permite a participação das comunidades na efetividade das tecnologias, levando assim a centralização dos bens naturais para grandes latifundiários que possuem grande aporte financeiro”, pontuou. 

O encontro virtual promoveu também o diálogo relacionando o ativismo e a economia do mar, assunto que foi abordado por Willian Freitas, da RedeMar. “Desde o momento em que compreendermos que esse ecossistema é vivo e que nele não só habitam animais e plantas, mas que as pessoas o utilizam para fins econômicos, rotas de passagem, turismo, prática de esportes ou mesmo como sustento milenar de determinadas sociedades, fica nítida a relevância de o compreendermos de forma integrativa. O mar é um todo e dessa forma deve ser compreendido. Ele deve ser visto de maneira holística e apostando em uma educação marinha relacionada ao desenvolvimento sustentável das comunidades”, destacou.

Finalizando a Live, o presidente da Ong Paciência Viva explicou o trabalho de coleta seletiva e reciclagem desenvolvido com a comunidade da praia da Paciência, no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. “A Educomunicação é a chave propulsora para o nosso envolvimento com os moradores e para resinificarmos o resíduo sólido em arte”. Para Cláudio Deiró, o Paciência Viva tem o propósito de incentivar a participação das pessoas, através de atividades culturais, fazendo com que a ação de reciclar seja vista de maneira lúdica. “Outro objetivo importante é promover a conscientização de repensar o nosso consumo e essa relação com o meio ambiente”, finaliza.

Para conferir esta, e as outras lives da série #SemaDebates, basta acessar o YouTube ou Facebook da Secretaria do Meio Ambiente – Sema. Clique na imagem para assistir o vídeo.

.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.