• Orientações Covid 19
  • .
  • .

Notícias

02/06/2020 11:40

Artesãs em Correntina promovem a inclusão de mulheres no mundo do trabalho

"Fabricar sonhos através das mãos mágicas de mulheres bordadeiras, promovendo assim a melhoria da vida e integração social", com este propósito a Associação das Mulheres Artesãs de Padre André (Amapa), localizada em Correntina, oferece curso de corte e costura para mulheres em situação de vulnerabilidade social, proporcionando uma atividade de geração de renda. Fundado na década de 80 pelo Padre André, que dá nome ao projeto, o curso tem a finalidade de profissionalizar mulheres carentes, inserindo-as no mundo do trabalho. "Com este projeto, muitas mulheres donas de casa puderam trabalhar e contribuir com a renda familiar", afirma Maria Gorete da Silva, presidente da Amapa.

Em viagem ao município, o secretário do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira teve a oportunidade de conversar com as artesãs e conhecer as potencialidades e desafios do trabalho desenvolvido por elas. “O projeto Mãos que Fabricam Sonhos apresenta-se como uma estratégia para assegurar o aumento da qualidade de vida da população feminina e a redução da exclusão social e cultural dessas mulheres”, disse o secretário. Durante o encontro, João Carlos viabilizou o contato das artesãs com a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), para apresentação e submissão de proposta de ampliação das atividades do grupo, com a possibilidade de captação de recursos e financiamento para o projeto, por meio do Fundo para o Desenvolvimento Integrado e Sustentável da Bahia (Fundesis).

Como resultado desses esforços conjuntos, a Amapa teve aprovado a ampliação da linha de corte e costura e a possibilidade de contemplar novas associadas.  O Fundesis destinará um aporte financeiro no valor de R$ 40 mil reais para aquisição de novas máquinas de costura, ampliação da linha de produtos e profissionalização e associação de mais 40 mulheres em situação de vulnerabilidade social. “As mulheres beneficiárias serão qualificadas para produção de linha de bordados de cama, ampliando nossos produtos. Elas terão a oportunidade, se assim desejarem, de se associarem. Mas esta não é uma condicionante para participarem do curso, podendo realizar seus trabalhos de forma autônoma”, explica Jane Correia de Souza, designer voluntária da Amapa e responsável pela elaboração do projeto.

Serão ofertados cursos de Corte Costura, Bordado à Mão e Patchwork, palestras de desenvolvimento pessoal e profissional, empoderamento feminino e introdução à cultura local. “Nosso objetivo é possibilitar que mais mulheres em situação de vulnerabilidade social e sem o pleno acesso aos serviços públicos básicos tenham a oportunidade de uma formação profissional que permita sua emancipação e acesso ao mundo do trabalho, por meio do estímulo ao empreendedorismo, às formas associativas solidárias e à empregabilidade. Queremos ser referência como projeto de inclusão em nossa cidade, que ousa dar um passo a mais na transformação social de pessoas que vivem em comunidades de baixa renda”, pontua Maria Gorete.

Fundesis 2020

Ao todo, o Fundo vai investir 2,5 milhões em 13 municípios do oeste baiano. O valor é o maior já destinado em doações e, consequentemente, o número de instituições contempladas também superou os editais anteriores. 

O presidente da Aiba, Celestino Zanella, entende que o aumento dos investimentos é reflexo dos resultados positivos obtidos pelos projetos apoiados em editais anteriores. “O produtor rural se sente confiante ao ver que aquele recurso que ele está doando, tem feito uma grande diferença, trazendo benefícios duradouros para a sociedade. Cada mulher de Correntina atendida pelo edital torna-se uma profissional da costura e dos bordados, alcançando, assim, sua independência”, reflete.

“O objetivo do Fundesis é apoiar projetos assistenciais, educativos e produtivos que tenham relevância coletiva. A Amapa, de Correntina, atende a todos os critérios. Acreditamos que, tanto esse quanto outros projetos já beneficiados pelo Fundesis, no município, mudam para melhor as vidas das famílias contempladas, como um divisor de águas”, afirma Makena Thomé, coordenadora do Fundo.

O anúncio das entidades beneficiadas foi feito em abril, pelo Conselho Deliberativo do Fundesis, formado por representantes da Aiba e do Banco do Nordeste. Os recursos serão repassados às entidades sem fins lucrativos responsáveis pela execução dos projetos, e a aplicação do dinheiro será fiscalizada pela coordenação do Fundo, para garantir transparência e lisura no processo.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.