• .
  • .

Notícias

04/07/2019 17:40

Programa propõe parceria público privada para restauração agroflorestal na Bahia

O diretor geral do Instituto Biofábrica do Cacau, Lanns Almeida, apresentou ao secretário do Meio Ambiente, João Carlos Oliveira, o programa Replantar, que visa a reposição florestal de mais de 2 milhões de mudas de essências nativas e frutíferas. O programa tem como principal estratégia integrar grandes corporações financeiras e empresas privadas às políticas públicas de reposição florestal do Estado da Bahia, e contará com apoio técnico da Secretaria do Meio Ambiente para, entre outras ações, mapear e identificar áreas prioritárias para restauração.

“O programa Replantar tem total aderência ao plano de trabalho desenvolvido pela Sema. Além disso, a Biofábrica tem um papel fundamental não só para o Sul da Bahia, mas para todo Estado, na produção, distribuição e monitoramento de mudas de grande valor agronômico e de reflorestamento. Junto com outros órgãos de Estado, a exemplo das secretarias de Agricultura e Desenvolvimento Rural, teremos um grande avanço em áreas de reflorestamento na Bahia”, afirmou o secretário.

As empresas poderão aderir às cotas que vão desde 25 a 80 mil mudas plantadas em um período de 12 meses. As espécies serão georreferenciadas e monitoradas pela Biofábrica, até tornarem-se viáveis, nos biomas Mata Atlântica e Caatinga. “Esse programa tem ação direta com a agenda das mudanças climáticas, e irá contribuir com o Acordo de Paris onde o Brasil se comprometeu em recuperar 12,5 milhões de hectares. A Bahia sairá na frente com essa proposta”, afirmou Lanns.

A reunião, realizada na tarde desta quinta-feira (4), contou com a participação da chefe de gabinete da Sema, Cássia Magalhães, do deputado estadual, Marcelino Galo, do diretor de Biodiversidade e Florestas da Sema, Maurício Galvão, e do assessor técnico da Sema, Durval Libânio.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.