• .
  • .

Notícias

25/02/2019 16:49

Campanha contra lixo coletou 13.500 itens em três praias de Salvador

No último sábado (23), a praia do Buracão, no Rio Vermelho, recebeu a campanha O mar não está para plástico, realizada pela Secretaria do Meio Ambiente (Sema) e ong Rede Viva Mar Vivo. Cerca de 40 voluntários coletaram mais de 3.800 itens da areia da praia. A ação foi a última da etapa do verão 2019 em Salvador, tendo sido realizada também em Piatã, dia 9/02, e na praia da Boa Viagem, dia 16/02.

O tipo de lixo mais encontrado nas praias foi o filtro de cigarro, que totalizou 4.880 itens coletados. A bituca de cigarro geralmente é feita de acetato de celulose, material que pode levar mais de uma década para se decompor. Pesquisas da ong internacional Ocean Conservacy apontam que este é o tipo de lixo mais encontrado nos oceanos e tão prejudicial  para a vida marinha quantos os fragmentos de plástico.

Microlixo – Dentre as praias visitadas pela campanha, a do Buracão foi a com menos lixo aparente. “A utilização das peneiras nesta última ação foi pedagógica, mostrou que mesmo em praias aparentemente limpas, ao peneirar a areia encontramos os mesmos tipos de resíduos das outras praias, como os pequenos fragmentos de plásticos e bitucas de cigarro, vidro, tampas de metal e outros materiais”, disse o presidente da ong Rede Viva Mar Vivo, William Freitas.

A ação retirou do Buracão 1.470 filtros de cigarro, 246 fragmentos de carvão, 176 tampas plásticas e 160 espetos e palitos de madeira, entre outros resíduos, totalizando 3.632 itens, além do rejeito (orgânicos e lixo sujo).

A vendedora Amanda Carvalho, que monta sua barraca na praia do Buracão há cinco verões, foi uma das precursoras do uso dos canudos de papel e das lixeiras individuais nas mesas nessa praia. Ela avalia que “hoje está muito melhor, mas ainda tem que ter conscientização, porque muitos barraqueiros ainda não levam a sério esse problema. Vejo que os banhistas daqui são exigentes, eles olham a limpeza, escolhem um local bonito, limpo”, comentou.

“A primeira etapa da campanha foi concluída com sucesso. Uma ação simples, mas que se mostrou bastante eficaz para sensibilizar a população. As praias são de grande relevância para a geração de renda na Bahia, que é o estado com a maior faixa litorânea do país. Precisamos incluir a sustentabilidade nesses negócios”, comentou o secretário da Sema, João Carlos Silva.

O coordenador de Gerenciamento Costeiro da Sema, Rosalvo júnior, avaliou que “as três atividades já realizadas da campanha apontam a necessidade de intensificar a Educação Ambiental na Zona Costeira e Marinha não só com referência às questões da limpeza das praias e dos plásticos nos mares, mas compreendendo que esses assuntos estão abrigados no Gerenciamento Costeiro e na implementação da Política Nacional e Estadual de Resíduos”.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.