• .
  • Cerrado Bahia

Notícias

21/11/2018 15:20

Compliance, ética e transparência são reforçados entre servidores do Estado

Gestores e comunicadores do Estado, além de profissionais do mercado da comunicação, discutiram modelos de transparência no serviço público, durante a palestra ‘Compliance e cultura ética organizacional’, promovida pela Secretaria de Comunicação do Estado (Secom), nesta quarta-feira (21), no Centro Administrativo da Bahia (CAB). A palestra foi ministrada pela professora convidada da pós-graduação da Universidade Católica de Salvador (UCSal), Luana Lourenço, graduada em Direito e mestranda em Compliance pela IMF Business School. Também é associada ao Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), do capítulo Rio de Janeiro.

O compliance vem se tornando uma ferramenta indispensável tanto no ambiente público como no privado. Segundo Luana Lourenço, o compliance trata da transparência e da prestação de contas, não apenas relacionados aos números, mas também aos serviços prestados. “A questão é abordar a face escandalosa, que é a corrupção, e também a famosa Lei de Gerson, que é o tal jeitinho brasileiro, que precisa acabar para que o País seja transformado em um lugar melhor. As crises precisam ser vistas como uma oportunidade para as mudanças que ocorrem por sensibilização, reflexão e provocação, especialmente por parte das lideranças, seja em casa, na iniciativa pública ou na privada”.

O secretário de Comunicação, André Curvello, avalia que a ferramenta já faz parte da realidade da sociedade moderna e a Bahia está saindo na frente, estabelecendo a implantação do compliance visando a transparência das organizações e do Estado. “Isso permite que a sociedade se informe de forma mais cristalina e verdadeira. Esse é um processo cultural, que envolve não apenas os gestores, mas também os funcionários e a sociedade fiscalizadora. Isso, na minha opinião, significa atingir um patamar de desenvolvimento mais avançado”.

Conselheiro-corregedor do Tribunal de Contas do Estado, Inaldo da Paixão, há mais de 30 anos servidor do órgão, elogiou a iniciativa. “A Secom está de parabéns por trazer um tema que trata de ética e compliance em um momento tão conturbado por que passa o País e mesmo a Bahia, com recursos cada vez mais limitados. É preciso agir com prudência, com ética e com controle acima de tudo. Esse é um evento que precisa irradiar no âmbito da administração”.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.