• Cefir nos municípios
  • Educação Ambiental para a Juventude do Campo
  • .

Notícias

05/10/2017 17:40

Técnicos do Programa Água Doce são capacitados para execução da segunda etapa

A Secretaria do Meio Ambiente (Sema), que coordena o Programa Água Doce na Bahia, está realizando na quinta e sexta-feira ( 5 e 6), o curso sobre Dimensionamento de Equipamentos de Dessalinização e Parâmetros de Qualidade da Água em Sistemas de Dessalinização para técnicos da Sema e da Companhia de Engenharia e Recursos Hídricos da Bahia (CERB/SIHS), para a segunda etapa do PAD. O curso está sendo ministrado pela consultora nacional do Programa Água Doce, Márcia Eliana.

De acordo com o coordenador estadual do programa, João Paulo Ribeiro, o objetivo da capacitação é a execução da segunda etapa do PAD. "Com a próxima etapa, a expectativa é que seja implantado mais de 150 sistemas de dessalinização em 48 municípios. Por conta disso, estamos capacitando as equipes da Sema e da Cerb/SIHS, responsáveis pela gestão e execução do Programa Estadual do Água Doce, para fazer esse trabalho com propriedade e com a orientação do Ministério do Meio Ambiente".

O dimensionamento funciona através de um software sobre o sistema de dessalinização e da qualidade da água. A capacitação explana a parte teórica e prática desse sistema, abordando os dados do diagnóstico, como o número de famílias, a vazão do poço, as análises fisioquímicas das águas dos municípios, para a dimensionar o tamanho do dessalinizador. De acordo com técnico do programa, Caio Pedra, "é um processo minucioso. Por isso, os técnicos precisam sempre de capacitação para entender os detalhamentos do software relacionado ao dessalinizador. Principalmente, para os técnicos que estão chegando agora".

A segunda etapa do Programa Água Doce (PAD) na Bahia tem um investimento de quase R$ 33 milhões para garantir o acesso à água de qualidade no semiárido, em municípios de abrangência dos Núcleos Regionais de Feira de Santana, Ribeira do Pombal, Senhor do Bonfim, Juazeiro, Caetité, Irecê, Caetité e Vitória da Conquista, distribuídos em cinco lotes, com valores de R$ 650 mil, conforme padrão do Projeto Água Doce, do Ministério do Meio Ambiente.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.