• Cefir nos municípios
  • Educação Ambiental para a Juventude do Campo
  • .

Notícias

04/09/2017 13:00

Secretário participa de lançamento de projeto do GEF em Nova York

O Global Environmental Facility (GEF), principal fundo de meio ambiente do planeta, criado na Rio-92 e coordenado pela Organização das Nações Unidas (ONU), através do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), realiza, no próximo dia 6 de setembro, em Nova York (EUA), o lançamento global do projeto GEF Integrated Approach Pilot (IAP) Commodities - Reduzindo o desmatamento nas cadeias produtivas de commodities. O objetivo é contribuir para a redução do desmatamento nas cadeias produtivas de soja, carne e óleo de palma, em quatro países: Indonésia, Brasil, Libéria e Paraguai. No Brasil, o cerrado baiano será uma das áreas beneficiadas.

Devido a participação relevante do Brasil e da Bahia no projeto, o secretário estadual do Meio Ambiente (Sema), Geraldo Reis, foi convidado a participar do evento, onde representará o Governo da Bahia, com todas as despesas pagas pela ong Conservação Internacional (CI). "Vamos conhecer em detalhes esse projeto inovador que exige, para sua realização, a mobilização de setores privados do agronegócio e uma forte presença do Governo na mediação de interesses", explica o secretário Geraldo Reis.

Com o robusto montante de investimentos da ordem de US$ 34,8 milhões, o GEF IAP Commodities selecionou, dentre as áreas para experimentação da abordagem no Brasil, o Projeto Matopiba 2020, que contempla os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, para onde serão destinados cerca de R$ 50 milhões do Fundo. No caso da Bahia, serão realizadas ações de combate ao desmatamento associado à cadeia produtiva da soja.

"Dentro do Matopiba, a região norte do cerrado baiano será a área de atenção do projeto, contando inclusive com o estabelecimento de uma das duas sedes do projeto em Barreiras. Os objetivos são ousados e muito bem vindos para o Governo do Estado, pois irão contribuir para a conservação e restauração ambiental", comentou o secretário.

Entre as metas do projeto, está a regularidade ambiental plena, por meio do Cadastro Ambiental Rural; preservação de 40% da região; incentivo ao manejo sustentável na agricultura; planejamento das áreas de expansão e de conservação; aumento da demanda de mercados internacionais responsáveis em relação à origem da soja e engajamento do setor financeiro no crédito para soja sustentável. O programa como um todo tem como propósito assegurar a gestão sustentável de no mínimo 23 milhões de hectares e mitigar a emissão de 80 milhões de toneladas de CO2.

O GEF IAP Commodities, como é chamado, envolve 6 agências implementadoras: o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), responsável pela coordenação geral; o Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP); o International Finance Corporation (IFC), do Banco Mundial; o Banco Interamericano de Desenvolvimento (IADB); o World Wildlife Fund (WWF); e a Conservação Internacional (CI), que é a organização responsável pela execução do projeto no Brasil, que terá seu foco de atuação na cadeia da soja na região de Matopiba.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.